Você sabia que o Credeq foi inaugurado hoje pelo Governador Marconi Perillo?

Por Larissa Quixabeira - Jornal Opção

Centro de Excelência em dependência Química em Aparecida de Goiânia é o primeiro de cinco que serão inaugurados em Goiás

Inauguração Credeq Aparecida de Goiânia | Foto: Eduardo Ferreira

Inauguração Credeq Aparecida de Goiânia | Foto: Eduardo Ferreira

Goiás ganhou um novo Centro de Referência e Excelência em Dependência Química. O Credeq Jamil Issy, em Aparecida de Goiânia, foi inaugurado nesta quinta-feira (23/6) pelo governador do Estado, Marconi Perillo (PSDB). A unidade, no setor Expansul é a primeira de cinco em construção no estado e tem capacidade de 96 vagas e tem o objetivo de oferecer atendimento gratuito e tratamento para dependentes químicos de álcool, crack e outras drogas. O investimento foi de R$26,6 milhões e o custo mensal de manutenção para os cofres estaduais será de R$ 602 mil.

Para o governador de Goiás, a inauguração do Credeq é um momento histórico para o Estado que, segundo ele, se tornará referência no tratamento a dependentes químicos. “Tenho certeza que o Credeq será referência para o Ministério da Saúde”, afimrou Marconi Perillo durante o discurso de abertura.

Em entrevista, o Marconi ressaltou que o objetivo é finalizar as obras dos outros quatro Credeqs, já em andamento. “Hoje estamos inaugurando o primeiro Credeq do Brasil, uma casa para a recuperação de dependentes químicos de altíssima qualidade, que vai trazer esperança aos familiares de pessoas que sofrem com as vítimas da dependência e poder devolver essas pessoas ao convívio social. Agora o objetivo é concluir a conclusão das unidades em Quirinópolis, Goianésia, Caldas Novas e Morrinhos”.

À imprensa, o governador adiantou que planeja ainda mais duas unidades do Credeq no Estado. “Já pedi elaboração de projeto para o entorno de Brasília e e também existe o compromisso com o município de Itumbiara”, afirmou.

A unidade inaugurada em Aparecida de Goiânia proporcionará a adesão ao tratamento de pacientes graves e de maior complexidade, com possibilidade de internação de até 90 dias e retorno para mais tempo conforme avaliação médica. O público-alvo será de crianças com até 12 anos incompletos, adolescentes e adultos. Todos serão admitidos na unidade, voluntariamente. As visitas familiares serão feitas diariamente.

O Credeq será gerenciado pela Organização Social Luz da Vida. O Centro de referência contará, ao todo, com cerca de 360 profissionais. Entre equipamentos médicos hospitalares, artigos terapêuticos e mobiliários, foram investidos o valor de R$ 2.621.88 milhões.

Em entrevista, o prefeito de Aparecida de Goiânia, Maguito Vilela (PMDB) ressaltou a importância do novo centro, não apenas para a cidade para todo o Estado. “O problema das drogas assola nossa sociedade como um todo. Aqui em Aparecida temos o projeto Recuperando Vidas e Lapidando Tesouros, no setor Rosa dos Ventos, mas com a inauguração do Credeq, nossa capacidade e condições de atendimento vão mais que dobrar”.

O Secretário de Saúde de Goiás, Leonardo Vilela afirmou que o Credeq tem o padrão de excelência do governo Marconi Perillo. “Com o Credeq queremos oferecer às pessoas um tratamento que antes só era oferecideo à pessoas que tem posses que vão tratar em outros grandes centros do Brasil ou ate no exteriror. Aqui o atendimento será público e gratuito e de qualidade, vamos dar dignidade às pessoas que sofrem com dependência química”.

A abertura será gradual, com ênfase na ala adulta composta por seis vagas de desintoxicação e 24 de reabilitação. Como é rotina em unidades de saúde, o atendimento do Credeq será aumentado progressivamente, até a capacidade de 96 vagas. A previsão é de que no décimo mês de funcionamento a unidade tenha 2.200 atendimentos ambulatoriais por mês e uma previsão de 64 internações mensais.

O Credeq atuará de forma integrada aos demais dispositivos de atendimento a pessoas com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool ou outras drogas, constituindo-se num espaço terapêutico destinado essencialmente aos casos graves e de maior complexidade. Além das ações de assistência aos usuários e suas famílias, será realizado atividades de qualificação para profissionais de saúde e pesquisa sobre a temática de dependência química.

O atendimento será integralmente pelo SUS à crianças, adolescentes, adultos e idosos referenciados pelas Secretarias Municipais de Saúde através do sistema estadual de regulação.
O programa terapêutico proposto contempla intervenções em nível ambulatorial, internação em leitos de saúde mental (desintoxicação e tratamento da abstinência física) e leitos de acolhimento em modelo residencial (reabilitação psicossocial). Será realizado através de uma abordagem multiprofissional com a participação de médicos (psiquiatras, pediatras e clínicos gerais), enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais, educador físico, pedagogo, nutricionista, farmacêutico, bibliotecário e musicoterapeuta.